top of page
  • Foto do escritorJornal Carangola

2023 é o mais quente em 174 anos, confirma relatório da OMM.

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM), até outubro deste ano, a temperatura média da superfície global ficou 1,4°C acima da média

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) publicou, nessa quinta-feira (30), a versão provisória do Estado Global do Clima 2023. O documento, desenvolvido com apoio do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apresenta um panorama da atual situação do clima no mundo. Baixe o relatório completo AQUI.


De acordo com a publicação, até outubro deste ano, a temperatura média da superfície global ficou 1,4°C acima da média de 1850/1900. Com este valor, o ano de 2023 é considerado o mais quente em 174 anos de medições meteorológicas, superando os anos de 2016, com 1,29°C acima da média, e 2020, com 1,27°C acima da média.


Ainda de acordo com o documento, os últimos nove anos, de 2015 a 2023, serão os mais quentes da história. Além disso, a média global de temperatura nos últimos dez anos, de 2014 a 2023 (até outubro), ficou 1,19°C acima da média de 1850/1900, sendo a década mais quente já registrada.


Em 2022, as concentrações dos três principais gases de efeito estufa - dióxido de carbono, metano e óxido nitroso - atingiram níveis recordes. Em 2023, dados de locais específicos mostram que os níveis dos três gases estão em constante crescimento, tornando o cenário mais preocupante.


Anualmente, a OMM emite relatórios sobre o Estado Global do Clima para divulgar informações atualizadas sobre as condições climáticas globais. Os relatórios abrangem uma variedade de temas, incluindo temperaturas, níveis do mar, concentrações de gases de efeito estufa e eventos climáticos extremos. O estudo é essencial para o monitoramento das mudanças climáticas e orientação de políticas de mitigação e adaptação, além de desempenhar papel fundamental na Conferência das Partes (COP) das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. Confira mais detalhes AQUI.


Brasil


No Brasil, o ano de 2023 também se destaca como um dos mais quentes da história do País desde a década 60. Em quatro meses consecutivos, de julho a outubro, as temperaturas ficaram acima da média histórica, sendo que setembro apresentou o maior desvio (diferença entre o valor registrado e a média histórica) desde 1961, com 1,6°C acima da média histórica no período de 1991/2020.


Em 2023, os meses citados foram marcados por calor extremo em grande parte do País e eventos de onda de calor, reflexo dos impactos do fenômeno El Niño (aquecimento acima da média das águas do Oceano Pacífico Equatorial), que tende a favorecer o aumento da temperatura em várias regiões do planeta. Além disso, outros fatores têm contribuído para a ocorrência de eventos cada vez mais extremos, como o aumento da temperatura global da superfície terrestre e dos oceanos. Confira mais informações AQUI.


Vale destacar que a parcial de novembro deve seguir a mesma tendência. Uma onda de calor mais abrangente e persistente, com 12 dias seguidos de temperaturas acima da média, foi registrada no mês. A exemplo disso, a temperatura máxima em Araçuaí, em Minas Gerais, chegou a 44,8°C, no dia 19 de novembro – considerado o dia mais quente no histórico de medições do Brasil. Desde o início de 2023, foram registradas oito ondas de calor até o momento.



Previsão para o verão


No Brasil, a previsão para o verão (22/12/23 a 20/03/24) é de persistência das temperaturas elevadas em grande parte do País, variando entre 0,5° e 1°C acima da média, principalmente, no interior das regiões Norte e Nordeste, além de áreas do norte de Mato Grosso e de Minas Gerais e oeste de Mato Grosso do Sul.



Figura 1: Previsão de anomalias de temperatura média do ar do modelo climático do Inmet para o trimestre dezembro/2023, janeiro/2014 e fevereiro/2024.


O INMET é um órgão do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) desde 1950. A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente em nosso portal, aplicativo e redes sociais:


Por Meteorologista: Maytê Coutinho. Canal Inmet

コメント


O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

49.png

Parceiros

exame.png
sicredi 2.gif
2.png
mauricio padilha.png
FOTO PERFIL.png
projetilar.png
LOGOS AYA 2.png
437755017_956548816474171_2121639489067002229_n.jpg
PURO SABOR FOTO PERFIL.png
438198013_958102139652172_1147900987193066066_n (1).jpg
sinergiasolar1_1699029985861.jpeg
WhatsApp Image 2024-04-19 at 16.04.49 (1).jpeg
sicredibotucarai_1705112184178.jpeg
FOTO-PERFIL.png
jornalcarangola_1705119737294.jpeg
PERFIL.png
bottom of page