Buscar
  • Jornal Carangola

Campeã do 'BBB 19', mineira Paula presta depoimento por intolerância religiosa

Se condenada, a ex-BBB pode pegar até três anos de prisão


A campeã do Big brother Brasil 19, Paula Von Sperling, prestou depoimento na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) na tarde de segunda-feira (15/4). Ela é acusada de intolerância religiosa contra Rodrigo França durante o programa.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou ao E+ que as coletas de prova já foram realizadas e "o inquérito para apurar denúncia de injúria por preconceito está em fase de conclusão e será remetido à justiça ainda nesta semana". 


O advogado de Rodrigo França, Ricardo Brajterman, disse recentemente que o caso de Paula é de alto potencial ofensivo. Se condenada, a ex-BBB pode pegar até três anos de prisão e pagar multa, mas há outras alternativas processuais aplicáveis para evitar a reclusão.


A reportagem tenta contato com a família de Paula para comentar as acusações desde a semana passada, mas ainda não obteve retorno. 


Entenda o caso

Após ouvir os envolvidos no caso de intolerância religiosa que aconteceu no "Big Brother Brasil 19", a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI) concluiu que houve preconceito por parte de Paula von Sperling, a vencedora da edição, contra Rodrigo França e, por isso, a ex-confinada será indiciada.


"Após a oitiva dos envolvidos, análise de vídeo e demais diligências realizadas, concluiu-se pela ocorrência de injúria por preconceito (art. 140 §3º do Código Penal), que acarretou o indiciamento de Paula von Sperling Viana. O Inquérito Policial será enviado nessa data à Justiça. A Polícia Civil se pauta pelo respeito à liberdade de expressão, mas destaca que, por meio desta, não se pode violar a dignidade da pessoa humana, repudiando todo e qualquer ato ofensivo à religião, etnia, orientação sexual, procedência geográfica, etc do próximo", diz a nota.


O delegado Gilbert Stivanello explicou os próximos passos do caso:


— Agora o procedimento será entregue fisicamente à Justiça na quarta-feira, dia 24, e lá ele será apreciado pelo Ministério Público, que poderá arquivar, demandar novas diligências, ou denunciar. Havendo a denúncia, teremos um processo crime em andamento.


Como aconteceu

Após uma conversa com Diego e Hariany, Paula disse que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato com "esse negócio de Oxum". Ela também declarou que "nosso Deus é maior".


Em entrevista, Rodrigo (vítima no inquérito) disse ter ficado muito chateado ao ver algumas declarações dadas por colegas durante o reality. — Vi alguns vídeos que me chocaram e entristeceram. Mas provaram que eu estava no caminho certo. Por mais que eu tenha sido eliminado, há comportamentos que eu não gostaria de reproduzir na minha forma de jogar. Fico feliz por não ter seguido essa linha — disse.


O depoimento

Paula prestou depoimento a polícia na última segunda, dia 15, durante pouco mais de duas horas. Ela foi proibida pela irmã, Mônica von Sperling, que é também sua advogada, de dar qualquer tipo de declaração. Ao fim, saiu da distrital dentro de um carro com vidros escuros e com o rosto coberto.

'Vou encarar tudo'

Paula, logo após vencer o prêmio do "BBB 19", afirmou que vai procurar se retratar com todo mundo que magoou dentro e fora do confinamento, por conta de suas declarações. — Eu não tenho noção do que está acontecendo aqui fora. Não sei bem o que fiz e falei. Só tenho noção de que falo coisas desnecessárias 24 horas por dia. Vou me retratar com todo mundo. Fui eu mesma e não medi as palavras — disse a ex-sister durante coletiva de imprensa logo após deixar o confinamento.

— Mesmo sendo processada, ganhei R$ 1,5 milhão e vou encarar tudo que tiver por vir — prometeu Paula: — O que eu aprendi nessa experiência é que tenho que falar menos —, declarou.


Paula também prometeu ajudar a amiga Hariany, que foi expulsa do programa na véspera da final, por tê-la empurrado.

— Vou pensar junto com ela sobre como posso ajudá-la. Ver o que ela precisa para a vida dela. Nunca tive amiga na vida antes, mas Hari é (amiga).

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png