Buscar
  • Jornal Carangola

CARANGOLA: Minas Gerais registra recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas, Carangola sobe para 70

O levantamento da Secretaria de Estado de Saúde também mostra que foram reportados mais 13.358 casos da doença no Estado. Em Carangola os óbitos já chegam aos 70 e os leitos de UTIs nos 2 hospitais estão esgotados.


Foto: MARK FELIX / AFP

Minas Gerais registrou um novo recorde de mortes em decorrência da Covid-19 nesta terça-feira (6), com 508 óbitos somados em 24 horas. Anteriormente, o valor mais alto já registrado havia sido 486 óbitos, marca atingida na quinta-feira (1). Os dados constam no Boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) divulgado diariamente. O levantamento também mostra que, nas últimas 24 horas, foram reportados mais 13.358 casos da doença no Estado.



Dessa forma, no total, Minas Gerais tem 26.303 mortes por Covid-19 e 1.182.847 casos. Cerca de 78% dos óbitos confirmados ocorreu em pacientes com mais de 60 anos, mas a média de idade das pessoas com casos confirmados é de 42 anos. Nessa segunda-feira (6), A capital Belo Horizonte também registrou o número com mais mortes em decorrência da Covid-19, com 92 óbitos em 24 horas.

Carangola


Em Carangola, de acordo com boletim epidemiológico municipal publicado nessa quarta-feira dia 07 de abril, o número de óbitos subiu assustadoramente para 70 e as vagas de UTI permanecem com 100% de ocupação e os leitos clínicos já chegam nos seus 91%. São registrados 102 casos ativos.


Nas redes sociais, principalmente nas oficiais do município, muitos são os moradores que questionam quais medidas estão sendo tomadas pela Prefeitura no enfrentamento da doença e outras questionam o cumprimento das medidas impostas pelo governo do estado na "Onda Roxa". Nada é informado a imprensa ou a população.


No dia 30 de março, os vereadores Sanderson Ribeiro ( Sandro do Táxi) e Candinho, estiveram em reunião com secretário de Saúde de Carangola Helerson Toledo, onde apresentaram ofícios solicitando para que fosse incluído nas medidas de enfrentamento ao Covid-19 da prefeitura de Carangola, o serviço de Higienização e Desinfecção dos prédios e espaços públicos como também todas áreas consideradas de grandes aglomerações como também a implementação de barreiras sanitárias e blitz educativas tanto no trânsito como no comércio. Veja documento na íntegra:

Procurados para falar sobre o assunto, os vereadores citados, informaram que até aquele momento nenhuma resposta ou ofício por eles haviam recebido por parte do executivo municipal, portando não saberiam informar se suas solicitações seriam atendidas. Os legisladores entendem que uma medida tão importante e de baixo custo, utilizada como uma das principais armas nas ações em 2020 no enfrentamento da pandemia, seriam hoje indispensáveis para o município nesse momento.

"Ao nosso ver, através desse trabalho de desinfecção/higienização, o município tem a possibilidade de fazer em forma efetiva e com baixo custo, a redução de contaminação, fazendo uso apenas de água sanitária (hipoclorito), que é um facilmente encontrado por toda população, e que já se mostrou a sua eficácia neste mesmo enfrentamento ao COVID-19 no ano de 2020, quando iniciou a pandemia. Destaca o vereador Sandro do Táxi."

Procuramos a prefeitura através dos setores responsáveis pelas informações e não obtivemos nenhuma resposta aos nossos questionamentos. Como já é de praxe a Secretaria de Saúde não se pronunciou e o Secretário de Saúde não foi encontrado para falar desse caso.

No dia 01 de abril, nas redes oficiais da prefeitura foi emitida a seguinte nota:

"ATENÇÃO CARANGOLA
A Prefeitura de Carangola, através da Secretaria de Saúde informa que a situação da COVID-19 em nosso Município é gravíssima. A transmissão do vírus e os casos estão aumentando assustadoramente. Não temos mais leitos de UTI e enfermaria disponível em nossos Hospitais.
Pedimos a todos que mantenham as regras do distanciamento social, evitem aglomerações, usem constantemente máscara facial e álcool em gel.
Colabore fazendo a sua parte para que a próxima vítima de COVID não seja você ou alguém que você ama. Cada vida salva é uma responsabilidade de todos.
Contamos com a sua colaboração!"

A publicação causou uma revolta nos internautas que acompanham os canais oficiais da prefeitura, pois diante do número crescente de óbitos, superlotação dos hospitais da cidade e os muitos casos confirmados da doença, esperava-se da Prefeitura de Carangola e a Secretaria de Saúde alguma medida de enfrentamento, mas nenhuma ação efetiva para o controle da doença foi apresentada. Em vídeo publicado no dia 12 de março 2021, o Secretário de Saúde Helerson Toledo afirma de forma categórica que não tem como coibir, fiscalizar ou impedir as realizações de eventos que promovem aglomerações e que os hospitais estavam lotados.

DENÚNCIAS NAS REDES SOCIAIS

São muitas as denúncias e os questionamentos nas redes sociais sem respostas, principalmente nos canais oficiais da Prefeitura e se tratando da pandemia e merenda escolar. Muito nos assusta a falta de transparência do poder executivo municipal que no inicio da gestão "venderam" e garantiram a imagem de que transparência seria prioridade como podem ver nesse texto de uma publicação realizada no dia 05 de janeiro onde era publicado:

"Acreditamos em uma comunicação clara, limpa e de continuidade, visando única e exclusivamente o acesso da população a tudo que diz respeito à transparência das ações, trabalhos e informações essenciais. As redes sociais são hoje um dos principais meios de comunicação e a forma mais rápida e democrática de levar a informação ao maior número de pessoas possível, por isso, as redes sociais da Prefeitura de Carangola serão, a partir desta gestão, da Prefeitura e não do governo vigente."

Diante de tal contrariedade, abrimos o ESPAÇO FALA CIDADÃO onde iremos dar voz ao povo, e principalmente lutar junto a eles em busca de esclarecimentos para suas dúvidas e posicionamento do poder público sobre as questões de bem comum e de acesso a sociedade carangolense. A princípio iremos focar nas ações do Município de Carangola, mas breve iremos atender as demandas de toda região. Se quiser fazer a sua denúncia, reclamação ou sugestão, o nosso numero de WhatsApp para contato é 32 99813-8289 ou fale direto clicando aqui .

A VOZ DO POVO

A princípio separamos alguns questionamentos e denúncias. Entre elas está um dos diversos questionamentos da internauta Luana Assis que acompanha e luta de forma incansável através dos canais oficiais da prefeitura por seu direito a informação e aguarda no silêncio assustador do poder público nesse momento de incerteza que é a pandemia;

"E quando a Prefeitura vai intervir e cumprir o que realmente está no papel? Cansada de não ter como trabalhar e ver as festinhas só aumentando e o povo vivendo normal pq o bolso deles ainda não foram afetados!! " L.A.

Outra moradora também questiona nos canais oficiais da PMC, é a Bianca Souza Moraes que denúncia;

"O problema é que sai uma ordem do governador pra ser cumprida, aí pra dizer que aderiu coloca no papel, mais na realidade mantém comércios abertos, mercados tendo muita aglomeração, passei em frente a uma loja de chocolates essas semana (que a prefeitura taxa como essencial) tinha FILA ENORME!!! Em fim todos os comércios abertos, e manda fechar salão de beleza, academia, auto escola, como se Covid 19 fosse transmitido apenas nesses lugares! Seria muito mais justo e bonito se for pra fechar REALMENTE fechar tudo, agora favorecer uns e destruir os outros é injustiça!! A cidade está em colapso e isso é culpa de quem?? A consciência deveria partir das pessoas ? Sim deveria, mais não parte, aí vira essa bola de neve que estamos vendo." B.S.M.

Uma outra denúncia que podemos encontrar nas publicações oficiais da prefeitura e em nossos arquivos são da internauta Patrícia Souza que questiona sobre o cumprimento da onda roxa e a fiscalização ineficiente, já que pelo que é notório, para isso basta dar uma volta pela cidade, que tudo continua como era antes do decreto imposto pelo governador e as medidas da "Onda Roxa". Veja:

E a prefeitura, tá fazendo a parte dela? No centro o fluxo de pessoas continua igual, tá cheio de gente sem máscara na rua. Na fila da vacinação não tem fiscalização, fica um monte de idosos um em cima do outro. Tá tendo fiscalização de madrugada? Sinceramente, a prefeitura deveria ser mais ativa no combate ao vírus, pq essa onda roxa tá muito faz de conta. P.S.

A moradora Rosi Guimarães Silva ainda de forma mais dura, enfatiza suas reclamações apontando inclusive locais onde visivelmente acontecem os casos de descumprimentos dos decretos estadual e municipal e que nada é feito;

Continuo dizendo sobre a importância dos ficais serem mais atuantes tem estabelecimentos comerciais que não exigem uso de máscara, permitem aglomeração no local, e sem álcool gel. Enfim não estão respeitando. Além de tomar atitudes sobre a população que não colabora, vcs precisam de serem mais rígidos quanto a esse seríssimo problema. Moro não Avenida Capitão Antônio Carlos de Sousa e aqui está o caos de irresponsabilidade. R.G.S.

Michela Alves Carneiro questiona as ações de fiscalização e destaca o absurdo que vem acontecendo por toda cidade;

Cadê a fiscalização ? O Centro da cidade está cheio . Eu tive que ir ao banco não achei lugar pra pra p carro . Andei na rua com medo, pois todos sem máscara. Um absurdo . Eu e minha família estamos fazendo nossa parte , mas correndo risco pois quando precisamos fazer algo urgente a rua está lotada de gente sem máscara passeando. Decepcionada com essa gestão. É necessário multar é fiscalizar. Sinceramente vergonha da minha cidade. M.A.C.

No último dia do mês de Março, foi publicado o Decreto Municipal Nº 037/2021 de 31 de março de 2021, que Ficou mantido e prorrogado o protocolo Onda Roxa em Biossegurança Sanitário Epidemiológico no Município, em conformidade com o Decreto Municipal nº 35/2021, de 17 de março de 2021. A medida foi tomada após o governo de Minas Gerais anunciar a prorrogação da 'onda roxa' em 815 das 853 cidades do estado até 11 de abril. Antes, a medida, que estabelece normas mais restritivas à circulação de pessoas com o objetivo de conter o avanço da COVID-19, valia até o dia 4.


"As outras localidades ainda não apresentaram uma queda sustentada na taxa de óbitos e de ocupação em leitos de UTI e, por isso, deverão seguir as medidas mais restritivas pelo menos até 11 de abril", anunciou o governo.

A administração estadual se baseia em parâmetros epidemiológicos (número de novos casos e mortes, índice de disseminação do vírus e ocupação de leitos) para tomar as decisões. Os municípios do Triângulo do Norte e da microrregião de Patos de Minas passaram à fase roxa antes de boa parte do estado. Por isso, apresentaram melhora consistente nos números.


NOTA DA REDAÇÃO:

Até hoje nada se sabe sobre sobre a composição da Câmara Técnica da Secretaria Municipal de Saúde e do Comitê Municipal de Enfrentamento ao COVID-19. Essa informação solicitada e cobrada incansavelmente pela equipe do Jornal Carangola desde janeiro, quando a nova gestão assumiu o controle da pandemia é de uma avalia imensurável pois é dessa forma, que os cidadãos, tem acesso a transparência e sabem quem são os responsáveis pelas decisões e medidas que são tomadas e quais orientações e critérios são utilizados para formulação dos decretos e ações que influenciam diretamente na vida de todos cidadãos carangolenses. Importante destacar em nossos questionamentos não respondidos pela Secretaria de Saúde, foi em relação a quais procedimentos foram aplicados aos trabalhadores e voluntários que trabalharam nas ações durante e pós enchente, como por exemplo quais medicamentos de prevenção a doenças causadas pelas águas e poeiras tóxicas, bem como de pele e respiratórias foram utilizados, quais exames foram feitos. De acordo com as informações recebidas de servidores municipais e voluntários que atuaram nesse trabalho, nenhuma ação de prevenção foi aplicada até o momento. O que muito nos preocupa, pois isso coloca em risco a saúde e integridade física dessas pessoas que trabalharam com méritos nesse momento tão difícil. Outra demanda que nos preocupa é sobre o cronograma de vacinação. Pois a diversas denúncias de "fura fila" que ja foram apresentadas as autoridades responsáveis pela investigação e também ao Ministério Público para que seja apurado. Ainda é registrado pela população a DENÚNCIA da falta de medicamentos básicos que já estamos apurando. Alô Prefeitura, faltar dipirona? Tá de Brincadeira hein! Ainda ao fechar dessa edição fizemos contato com a Secretaria Municipal de Saúde, e ninguém quis falar sobre o assunto. Assustador. Mesmo diante da falta de consideração e respeito do Poder Executivo de Carangola e suas respectivas Secretarias, com a imprensa e mais evidentemente com nosso trabalho. Nos colocamos a disposição caso haja interesse em tais esclarecimentos. Por Redação Jornal Carangola Informações: SES-MG Leia também! CARANGOLA: Denúncia sobre doações de cestas-básicas da Prefeitura com validade raspada.

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png