Buscar
  • Jornal Carangola

Covid: MG tem 5.223 casos em 24 horas, 2º maior número já registrado em um dia

A SES-MG ressaltou que os dados não retratam, de fato, a ocorrência de casos na data, e, sim, a atualização das informações dos municípios


Minas Gerais registrou 5.223 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, conforme boletim epidemiológico divulgado neste sábado (5). Este é o segundo maior número de infecções notificadas em um único dia desde o início da pandemia, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).


O recorde de casos registrados em um período de 24 horas ocorreu no dia 26 de junho, quando 6.095 infecções foram contabilizadas. A SES-MG ressaltou que o número não retrata, de fato, a ocorrência de casos na data, e, sim, a atualização dos dados até então informados pelos municípios.

O Estado soma, até o momento, 438.304 infecções acumuladas de Covid-19. Do total de contaminados pelo novo coronavírus, 397.575 se recuperaram e outros 30.446 pacientes seguem em acompanhamento.


Nas últimas 24 horas, 56 óbitos por Covid-19 foram registrados, e Minas Gerais tem, agora, 10.283 mortes provocadas pela doença.


Segundo a SES-MG, o aumento dos casos de Covid-19 nas últimas semanas "pode estar relacionado à diminuição da atenção aos protocolos de biossegurança, ou seja, a redução do uso de máscaras, afrouxamento no distanciamento social mínimo e a não higienização constante das mãos".



Esgoto já indica 1 milhão de pessoas com Covid em BH, maior número já registrado. Resultado divulgado nesta sexta-feira faz referência à semana epidemiológica 48 (20 a 26 de novembro); na semana anterior, o estudo apontava 600 mil infectados.


O projeto de análise de esgotos coordenado por pesquisadores da UFMG estima que mais de um milhão de pessoas estão infectadas com o novo coronavírus em Belo Horizonte - informou em boletim divulgado nesta sexta-feira (4).


Todas as regiões monitoradas pelos pesquisadores apresentaram amostras do novo coronavírus, tanto na bacia do Arrudas como na bacia do Onça.

Este é o maior valor estimado de pessoas infectadas desde o início do monitoramento e da pandemia na capital mineira. Até então, o maior valor era 800 mil pessoas, no fim de julho (em agosto, chegou-se a registrar o número estimado de 40 mil). Em Contagem, o número de infectados, acredita-se, passe dos 200 mil infectados atualmente.


O resultado divulgado nesta sexta-feira faz referência à semana epidemiológica 48 (20 a 26 de novembro). Na semana anterior, o registro trazia cerca de 600 mil infectados e, anteriormente, 500 mil. “Este cenário reflete o aumento expressivo da circulação do vírus em Belo Horizonte e indica a tendência de agravamento da pandemia na capital”, ressaltam aos pesquisadores em nota enviada à imprensa.


Oficialmente, a capital mineira tem 53.704 confirmados de Covid-19, sendo que 1.674 moradores morreram em decorrência da doença.


Projeto

O projeto-piloto Monitoramento COVID Esgotos é realizado em 24 pontos de coleta no sistema de esgotamento sanitário de Belo Horizonte e Contagem pela Agência Nacional de Águas (ANA) e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis/UFMG). A ação é realizada em parceria com o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).


As amostras são analisadas no laboratório de microbiologia do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em alta

Outros dados divulgados nesta sexta-feira (4) também indicam um agravamento da pandemia na capital mineira. A ocupação de leitos de UTI dedicados a pacientes graves com Covid, tanto na rede pública quanto particular, chegou a 50,6%. Ao ultrapassar os 50%, o índice agora está na fase amarela, considerada como alerta .


A ocupação de leitos de enfermaria Covid passou de 45,5% para 47,9%. Além disso, o número médio de transmissão por infectado, o chamado R(t), subiu de 1,05 para 1,06. Por Redação

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png