• Jornal Carangola

'Este é um ato de guerra', diz Embaixada da Ucrânia no Brasil sobre invasão russa


A Rússia, com autorização de seu presidente, Vladimir Putin, iniciou, na madrugada desta quinta-feira (24) uma ampla operação militar para invadir o território ucraniano.


A embaixada da Ucrânia no Brasil publicou nota sobre a invasão feita pela Rússia em seu território.


A Rússia, com autorização de seu presidente, Vladimir Putin, iniciou, na madrugada desta quinta-feira (24) uma ampla operação militar para invadir a Ucrânia.

Há imagens de explosões e movimentações de tanques em diferentes cidades ucranianas. Putin disse às forças ucranianas que deponham as armas e voltem para casa.

Na nota, a representação diplomática ucraniana no Brasil afirma:

"O presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, anunciou o início de uma nova onda de agressão contra a Ucrânia. O objetivo da operação militar ofensiva da Rússia é destruir o Estado ucraniano, tomar o território ucraniano à força e estabelecer o controle da ocupação. Tropas russas estão atacando cidades ucranianas civis de várias direções, incluindo Donbass e Crimeia temporariamente ocupados, bem como da região nordeste.

Este é um ato de guerra, um ataque à soberania e integridade territorial da Ucrânia, uma grave violação da Carta das Nações Unidas e das normas e princípios fundamentais do direito internacional.

A Ucrânia ativou seu direito de autodefesa de acordo com o direito internacional.

O espírito de luta do exército ucraniano é alto, nossos defensores estão prontos para repelir o estado agressor e farão tudo ao seu alcance para defender a terra ucraniana.

A Ucrânia apela à comunidade internacional para que aja imediatamente. Somente passos unidos e decisivos podem parar a agressão de Vladimir Putin contra a Ucrânia.

Nossos parceiros devem ativar imediatamente um pacote de novas sanções. Apelamos também às capitais amigas para que continuem fortalecendo as capacidades de defesa de nosso estado, fornecendo armas e equipamentos militares.

A nossa resposta conjunta depende agora não só da segurança dos cidadãos ucranianos, mas também da segurança dos cidadãos em toda a Europa e do futuro da ordem mundial".

Resumo até o momento

  • a Rússia iniciou a invasão da Ucrânia em diversos pontos do país

  • há relatos de explosões e ataques com mísseis em Kiev e Kharkiv, entre outras cidades

  • os militares ucranianos estariam tentando reagir

  • o presidente Zelensky pediu calma e instaurou lei marcial

  • unidades de guarda de fronteira e postos de controle estariam sob ataque nas regiões ucranianas de Luhansk, Sumy, Kharkiv, Chernihiv e Zhytomyr.

Pouco após o anúncio da invasão feita por Putin, começaram relatos na imprensa de sons de explosões e artilharia nas cidades ucranianas de Kharkiv e Kiev, entre outras. Centros de comando militar nessas duas cidades foram atacados com mísseis, segundo disse uma fonte do Ministério do Interior a um site ucraniano. O aeroporto da capital foi esvaziado e teve os voos suspensos.


"Putin acaba de lançar uma invasão em grande escala da Ucrânia. Cidades pacíficas da Ucrânia estão sob ataque. Esta é uma guerra de agressão. A Ucrânia se defenderá e vencerá. O mundo pode e deve parar Putin. A hora de agir é agora", disse o ministro de Relações Exteriores ucraniano, Dmytro Kuleba.

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
perfil.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png
BAILE-DA-INDEPENDÊNCIA-TODOS-finalizado.png