Buscar
  • Jornal Carangola

MANHUAÇU: Prefeitura vai a ampliar fiscalização da Onda Roxa

MANHUAÇU (MG) - A Prefeitura de Manhuaçu vai apertar nas fiscalizações dos estabelecimentos que não se enquadram no sistema de “serviços essenciais” da Onda Roxa do Minas Consciente. A decisão foi tomada nesta sexta-feira, 09/04, em reunião realizada no Paço Municipal. Supermercados, padarias, farmácias, açougues entre outros – poderão manter o seu padrão de atendimento. Em contrapartida, os restaurantes e bares deverão permanecer fechados, somente trabalhando no sistema de delivery, segundo informações da secretária de Saúde, Ana Lígia de Assis.


Conforme explica a secretária da pasta, o comércio que permanecer aberto receberá uma visita dos fiscais com apoio das forças de segurança. Será solicitado o fechamento do estabelecimento, será lacrado e terá que fechar por determinado tempo, fora as multas e outras consequências da legislação especifica para esses casos.


“Estamos na Onda Roxa pelo Programa Minas Consciente. Estamos com lista de espera por vagas na UTI na nossa região, com dificuldades de internação. Não é somente uma questão de número de leitos que a gente tem, mas nós estamos assistindo e vendo isso a todo momento. A única forma de evitar essa doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a utilização de máscara, o distanciamento social e a vacina. A vacina a gente não tem governabilidade. É o Estado que tem distribuído através da programação do Ministério da Saúde, mas o uso de máscara e o distanciamento social é parte nossa”, pontua.

A Onda Roxa é atualizada toda semana toda semana. Um comitê estadual define quais regiões serão mantidas em cada faixa do programa. O toque de recolher foi extinto em Minas Gerais. Supermercados podem trabalhar até 22 horas. Restaurantes e bares ainda têm que ser mantidos fechados, mas com a entrega por delivery. Os comércios já sabem quais podem e quais não podem funcionar, de acordo com a Onda Roxa.


“Tivemos uma ação nesta sexta-feira pela manhã, cumprindo uma determinação do Ministério Público, com equipes da Polícia Militar e Vigilância Sanitária. Não é uma coisa que nós queremos e nem desejamos, mas uma deliberação do Governo de Minas que nós temos que cumprir. Peço a todos, para evitar o transtorno do seu estabelecimento ser fechado e lacrado, colabore conosco, porque quando a fiscalização for atuar junto com as forças de segurança já irão para lacrar os ambientes que deveriam estar fechados. Vamos cumprir nossa responsabilidade. Querendo ou não, essa é a legislação e sabemos das nossas responsabilidades, enquanto cidadão, enquanto comerciantes”, reforça a secretária de Saúde, Ana Lígia. Além de fechar os estabelecimentos, serão aplicadas as demais penalidades previstas na legislação.

PRAZO


A Secretária reforça que a cidade de Manhuaçu e os municípios da região estão na Onda Roxa até o dia 18 de abril. Somente serão colocadas na Onda Vermelha quando o Governo de Minas autorizar.

“Muitos podem perguntar porque Manhuaçu faz e os outros municípios não fazem. Nós só temos governabilidade no nosso município, então nós temos que fazer o melhor para a nossa cidade. Se eu não preocupo comigo, eu tenho que preocupar com outro. Pode ser um discurso demagogo, nós estamos todos cansados dessa situação, mas nós temos que ver que são 20 mil vidas perdidas por dia. Nós temos uma responsabilidade. A gente acaba sentindo quando é com os nossos, quando acontece na minha casa, com os meus familiares ou com alguém que eu conheço, mas tem tantos que eu não conheço. Tem tantos nomes. Tem tantas famílias ficando sem seus familiares. Nós sabemos que há uma crise financeira afetando todos. Nós percebemos isso! Temos um gabinete de crise que a gente discute e está tentando saídas. Muitas vezes, parece que a gente está sem posição, mas é que estamos procurando a melhor forma para se levar essa situação”.

Sobre barreiras sanitárias, Ana Lígia explica que esse tipo de procedimento demandaria profissionais da saúde e que a prioridade é o atendimento aos moradores e a vacinação.

“Temos equipes ocupadas com vacinação, unidades lotadas para atender os casos de Covid-19 e outras limitações. Isso não é tão simples num município com território tão extenso e com três rodovias (BR-262, BR-116 e MG-111). O que nós iremos intensificar são barreiras educativas para orientar e pedir a colaboração das pessoas, sobre máscaras, distanciamento e outras orientações”.

VACINAÇÃO


Ana Lígia reforça que Manhuaçu tem sido um dos municípios com maior índice de vacinação em relação às doses recebidas. 91% das vacinas que chegaram já foram aplicadas. Além disso, outras estratégias, como drive-thru, estão acontecendo.


“Clamo a todos da importância de ficar em casa. Só sair se tiver necessidade mesmo. Não é que vírus não está nos supermercados ou nos bancos. Nesses locais também há risco e estamos vendo pessoas levando o vírus para casa, porque nós estamos circulando. Como o vírus circula, a pessoa está levando para dentro de casa, então é esse o cuidado que a gente tem que ter: sair o mínimo possível e tomar as medidas de precaução, como distanciamento e álcool em gel ou lavar as mãos. Nós não queríamos, enquanto serviço de saúde, fazer isso. Nosso papel é promover a saúde, mas infelizmente nós precisamos. Só vamos ter sucesso no combate a essa doença com a colaboração de cada um. Cada pessoa tem que entender o seu papel no combate ao coronavírus”, conclui.

Com informações de Danilo Alves – Tribuna do Leste

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png