• Jornal Carangola

Minas Gerais não terá proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas nas eleições

Informação deve ser oficializada nas próximas horas

Minas Gerais não terá proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas em razão das eleições do próximo domingo (2). A informação deve ser oficializada nas próximas horas.


Uma fonte do governo de Minas informou que a decisão segue exemplo do que ocorre em outros estados. Lembrou ainda que no pleito de 2020 o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou a proibição, mas o governo se posicionou contra.

“Neste ano, manteremos a posição de não editar. E tudo indica que o tribunal também não o fará”.

De acordo com o TRE, a proibição da venda e do consumo de bebidas alcóolicas no dia da eleição "já foi objeto de deliberação pelo Gabinete Institucional de Segurança, ocasião em que concluíram que a definição sobre sua edição ou não compete exclusivamente à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública".

Pedido da Abrasel-MG A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel-MG) solicitou ao governador Romeu Zema que não haja decretação da 'Lei Seca' eleitoral em Minas. O pedido foi reforçado pelo próprio presidente da Abrasel-MG, Matheus Daniel, na última segunda-feira (19), durante encontro do dirigente com o governador de Minas.

“O faturamento dos bares e restaurantes aos domingos é cerca de 70% maior do que as receitas registradas nos dias de semana. Logo, dois domingos do mês sem poder vender bebidas alcoólicas, trará grandes impactos na situação financeira dos estabelecimentos, principalmente neste momento onde a lucratividade tem sido comprometida pela inflação”, informou Matheus Daniel, na última sexta-feira (19), por meio de nota.

Na manhã desta terça, associação informou ''continua aguardando resposta do TRE-MG sobre o assunto''. Violência política


Em Minas Polarizada entre bolsonaristas e petistas, a campanha deste ano é marcada por casos de violência e intolerância política. No último domingo (25), um policial militar foi preso suspeito de atirar em um ato de campanha do deputado federal Paulo Guedes (PT), em Montes Claros, no Norte de Minas.


Foi o segundo caso de violência polícia registrado na cidade, em três dias, envolvendo a campanha do deputado. Na sexta-feira (23), um policial afastado deu tiros para o alto ao se aproximar de integrantes da equipe do parlamentar que entregavam material de campanha no bairro São Geraldo.


Ceará e Santa Catarina Outros estados também registram casos recentes de violência. No último final de semana, duas pessoas foram mortas no final de semana após brigas em razão da acirrada divisão política do país. Em Cascavel, no Ceará, um homem que se dizia eleitor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi morto a facadas. Em Rio do Sul, em Santa Catarina, um apoiador do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), também foi esfaqueado e morto. Por: Rômulo Ávila, Larissa Ricci e Edilene Lopes

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
zanon zap-Cover.jpg

Parceiros

exame.png
perfil.png
açougue-fava.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
Jornal - viajecirene.png
sandro-do-táxi.png
PURO SABOR FOTO PERFIL.png
WhatsApp Image 2022-09-26 at 14.05.32.jpeg
dna_estrategico.png
logo-perfil.jpg
jornal(clinica).png
BIOMED-Cover.jpg
PERFIL.png