Buscar
  • Jornal Carangola

Operação #PC27- Polícia prende mais de 3 mil ladrões, assassinos, pedófilos e estupradores no país

A Operação PC 27, deflagrada nesta quarta, 24, mobilizou 12 mil policiais nos 27 estados, e tem como objetivo prender foragidos da Justiça por crimes graves


A Operação PC 27, conjunta entre as polícias civis, prendeu 3.381 criminosos apreendeu 274 adolescentes infratores em todo o país. A ação tinha como foco tirar de circulação foragidos da Justiça que cometeram crimes graves como roubo, homicídio, estupro, participação em crime organizado entre outros. Somente no Estado de São Paulo, foram 1.193 mil presos.

Foram mobilizados 12.718 policiais e 4.040 viaturas em toda operação.


Os mandados de prisão foram expedidos pela Justiça, após trabalho de investigação. Cada uma das Polícias Civis do Estado e do Distrito Federal realizou levantamento de inteligência para possibilitar o maior sucesso na operação.

Foram 12 horas de ação ininterrupta.


Os mandados de prisão foram expedidos após o trabalho de investigação. Segundo o CONPC, a Polícia Civil de cada unidade federativa realizou um levantamento de inteligência para ter mais sucesso nas ações.


Dos presos em São Paulo, foram 120 em flagrante e 997 alvos de mandados judiciais, além de 76 menores. Em Santos, foram apreendidos 300 kg de maconha. Em outros locais do estado, foram apreendidos 20 veículos e 9 armas de fogo.

Em São Paulo, mais de 4,5 mil agentes participam das atividades da Operação no Estado, entre eles policiais do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), da Macro São Paulo (Demacro), dos Departamentos de Polícia Judiciária do Interior (Deinters 1 ao 10) e também de unidades especializadas, como o Departamentos Estaduais de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Investigações Criminais (Deic), de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) e da Delegacia de Capturas e Delegacia Especiais (Decade). Em Santa Catarina, foram apreendidos mais de R$ 200 mil durante as ações. Cinquenta e cinco adultos foram presos e oito adolescentes foram apreendidos no Espírito Santo durante a operação . Em detalhamento da operação, a polícia informou que foram cumpridos 14 mandados por homicídios, 12 em flagrante delito, dez por violência doméstica e familiar, seis por roubo, dois por estupro, dois por descumprimento de medida protetiva, um por latrocínio, um por feminicídio e sete por outros crimes.

Entre os oito adolescentes apreendidos no estado, quatro foram por flagrante delito, dois por homicídios, um por violência doméstica e familiar e um por outros crimes. A operação no Estado do Espirito Santo mobilizou 343 policiais civis capixabas.

“São prisões que impactam na redução da criminalidade e trazem sensação da punibilidade. Vamos ter mais operações ao longo do ano organizadas pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia. Inclusive, a operação “Marias”, realizada aqui no Estado, entrou para o calendário nacional e também será realizada no país todo”, afirmou o delegado-geral, José Darcy Arruda.

Em Minas Gerais as diligências tiveram início no período da manhã e se estenderam até o final da tarde.

Não foram fornecidos a reportagem detalhes sobre as detenções ocorridas na região, como os bairros e ruas em que foram efetuadas as prisões. Também não foram divulgadas todas as idades ou os motivos específicos de cada um dos mandados de prisão expedidos pela Justiça contra os autores.

De acordo com a assessoria do 4º Departamento da Polícia Civil, foram cumpridos 22 mandados de prisão. Um jovem, de 29 anos, e três homens, de 31, 32, e 35 anos, foram em Carangola. Uma jovem, de 25 anos, foi presa em Muriaé e um jovem, de 24, e mais dois indivíduos, de idades não identificadas, em Juiz de Fora.

Já segundo a assessoria do 13° Departamento de Barbacena, 14 prisões foram realizadas nas cidades da Campo das Vertentes. Conforme informações, o terceiro em número de prisões no estado de Minas Gerais.

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png