Buscar
  • Jornal Carangola

UBÁ: Ação Integrada Apreende Cerca De Uma Tonelada De Carnes Em Abatedouro Clandestino


Um suspeito de 42 anos foi preso, durante ação realizada pela PCMG, em parceria com Ministério Público, Vigilância Sanitária e Instituto do Meio Ambiente.


Nesta quarta-feira (11/8), a Polícia Civil de Minas Gerais – em parceria com o Ministério Público de Minas Gerais, Vigilância Sanitária e Instituto do Meio Ambiente – apreendeu cerca de uma tonelada de carnes, em um abatedouro clandestino, no município de Ubá, na Zona da Mata mineira. Um suspeito de 42 anos foi preso pela prática de crime contra a relação de consumo e de crime ambiental.


Após a PCMG receber decisão judicial para cumprimento de mandado de busca e apreensão, trabalhos investigativos foram realizados pela Delegacia Regional em Ubá e resultaram na ação desencadeada na cidade. Durante levantamentos, foi constatado que o investigado possuía um abatedouro de animais clandestino na residência dele, além de locais para acautelar carnes em desacordo com a legislação e sem inspeção dos órgãos competentes.



Durante as buscas, foram apreendidos duas carcaças de animais suínos que estavam sendo manuseadas no momento da chegada dos policiais civis, além de carnes e linguiças acauteladas em freezers e câmaras frias que podem ultrapassar o peso de uma tonelada. As carnes eram distribuídas para restaurantes e açougues da região. Apurações indicaram que o suspeito dispensava os resíduos sólidos e líquidos no meio ambiente, sem o devido tratamento e destinação.


De acordo com o delegado Douglas Mota, as ações integradas entre Polícia Civil, Ministério Público, Vigilância Sanitária e Instituto do Meio Ambiente contribuem para combater esse tipo de delito. “Que, além de onerar os cofres públicos pela não arrecadação dos impostos e taxas devidos, ainda degrada o ambiente e coloca em risco a saúde pública”, ressaltou.

O homem foi conduzido até a Delegacia Regional em Ubá, onde teve o flagrante ratificado pela autoridade policial. Posteriormente, foi encaminhado ao sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça.

Fonte: PCMG

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
mobile-1.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png