• Jornal Carangola

DIVINO: Tinta à base de terra é sucesso em curso piloto


DIVINO (MG) - A casa da produtora Letícia Ferreira, de Divino, ganhou cores da terra depois que ela recebeu em sua propriedade o curso piloto “Pigmentação Natural e Pintura”, oferecido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Divino. No treinamento, os participantes aprenderam a escolher, coletar e preparar a terra para a fabricação da tinta, a calcular a quantidade necessária para pintar o espaço, de acordo com o rendimento da tinta à base de terra, técnicas de aplicação e armazenamento. Eles também foram orientados a fazer um catálogo de cores com amostras dos tons e local de onde foram retirados.


Na região, foram encontradas cerca de dez tonalidades, das quais três foram usadas na pintura externa e interna da casa. O resultado foi aprovado por Letícia, que se encantou pela diversidade e versatilidade da terra e pela maneira como o curso foi ministrado.


“Agradeço a oportunidade de ter aprendido a trabalhar com esse material tão rico. O curso superou as nossas expectativas! As instrutoras compartilharam muitos conhecimentos, de forma simples, e nos incentivaram a seguir aprendendo e praticando”.

Valéria Pagani Heringer de Miranda e Ivanete Ferreira Figueiredo são as idealizadoras do treinamento. Para elas, a primeira experiência foi um sucesso, especialmente pela boa receptividade, harmonia, empolgação e empenho da turma. “O curso é apaixonante! E o resultado foi satisfatório. Vimos que a formação também proporciona um resgate cultural e de memórias da utilização de técnicas de pintura com terra. Ouvimos relatos interessantes e inspiradores”, pontuou Ivanete.


As instrutoras ainda lembraram que o curso pode se somar a outros ligados a construções rurais que o Sistema FAEMG/SENAR/INAES já oferece, ajudando a formar profissionais cada vez mais completos. “O curso será mais uma fonte de renda para as pessoas com o diferencial de estar atento às questões ambientais, que são de responsabilidade de todos nós. Os profissionais poderão apresentar a tinta de terra aos clientes como uma alternativa de excelente qualidade e durabilidade”, destacou Valéria.


Bom para o bolso e para o meio ambiente


A fabricação da tinta à base de terra é simples e custa pouco. Os materiais usados como aglutinantes são cola branca, para áreas externas, e grude feito com polvilho para áreas internas. Dezoito litros custam cerca de R$50, valor bem abaixo do cobrado pela mesma quantidade de tinta convencional. Além disso, o material não causa impactos negativos à natureza e à saúde das pessoas.


Esses pontos foram destacados pela analista de Promoção Social do SENAR MINAS, Michelle Camila de Paula, que acompanhou a turma em Divino e comemorou o sucesso do curso piloto. “Esse curso vai levar beleza e conforto para o meio rural, por meio da diversidade de cores que a pigmentação natural oferece, de forma ecológica”, enfatizou.

“O curso é maravilhoso e foi muito proveitoso para nós que moramos na zona rural. Temos a matéria-prima à disposição e podemos procurar esse ‘ouro’ por aqui. Recomendo a todos que façam essa capacitação, que é prazerosa e brilhante. Toda a turma aprovou o treinamento e a nossa comunidade está encantada com o resultado da casa. Agradeço ao Sistema FAEMG e ao Sindicato pela oportunidade de participar de mais um curso do SENAR que agrega muito aprendizado”, disse a participante Luzia Maria Viana.







O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

FOTO-PERFIL.png
ORÇAMENTO.png

Parceiros

exame.png
perfil.png
açougue-fava.png
campestre-branco.png
mauricio padilha.png
FORNO-&CIA.png
projetilar.png
michelle.png
jornal-carangola.png
0.png