top of page
  • Foto do escritorJornal Carangola

Justiça condena cooperativa de Leopoldina a indenizar consumidor por consumir leite estragado

Leite integral consumido apresentava gosto amargo e coloração diferente



Um consumidor deverá receber indenização de R$ 3 mil por ter bebido leite estragado. Esse foi o entendimento da 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que modificou decisão de primeira instância e condenou a Cooperativa dos Produtores de Leite de Leopoldina de Responsabilidade Ltda. a pagar a quantia por danos morais.


Antes, em primeira instância, a 2ª Vara Cível de Leopoldina julgou que o caso não causava danos morais e determinou apenas a devolução do valor pago pelo produto. O fundamento da sentença foi que não houve ofensa à saúde do consumidor, mal-estar ou intoxicação. A defesa dele recorreu e os desembargadores do TJMG interpretaram de forma diferente.

O consumidor contou que adquiriu um fardo do leite integral da marca Lac e que chegou a beber do produto, que apresentava gosto amargo e coloração diferente. Ele também afirmou que voltou ao estabelecimento, que uma funcionária do local revelou que outros compradores reclamaram da situação e que o supermercado se limitou a repor os produtos.

Relator do processo, o desembargador José Arthur Filho citou precedentes em julgamentos do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendendo a necessidade de punição por danos morais e também considerou responsabilidade ao fabricante por descumprir o dever de zelar pela comercialização do produto, pela segurança mercantil e pela manutenção da qualidade.

“Relativamente à caracterização do dano moral, em situações da espécie, o Superior Tribunal de Justiça, em precedentes recentes, tem considerado que a aquisição de produto de gênero alimentício impróprio para o consumo expõe o consumidor a risco, seja à sua saúde física, seja à sua integridade psíquica”, afirmou.

O relator disse ainda que a veracidade das alegações ficou comprovada pelo relato do consumidor, corroborado pelo depoimento de testemunha que trabalhava, à época, no supermercado onde o leite foi comprado. A mulher falou que se recordava de reclamações de clientes que resultaram em trocas do produto.

Os desembargadores Pedro Bernardes e Luiz Artur Hilário acompanharam o relator na sentença. A cooperativa pode recorrer da decisão. Nossa equipe esteve em contato com a Cooperativa mas ninguém quis falar sobre o assunto.

O Jornal Carangola não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens.
O Jornal Carangola se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas.
As opiniões são de responsabilidade exclusivamente de seus autores.

49.png

Parceiros

exame.png
sicredi 2.gif
2.png
mauricio padilha.png
FOTO PERFIL.png
projetilar.png
LOGOS AYA 2.png
sicredibotucarai_1705112161896.jpeg
PURO SABOR FOTO PERFIL.png
sicredibotucarai_1699012659833.jpeg
sinergiasolar1_1699029985861.jpeg
sicredi_1705671512067.jpeg
sicredibotucarai_1705112184178.jpeg
FOTO-PERFIL.png
jornalcarangola_1705119737294.jpeg
PERFIL.png
bottom of page